top of page

Sandra Maurício

Psicóloga Clínica
Terapeuta Familiar e de Casal

1.

Psicoterapia
Individual Adultos

Recorre-se à terapia não só quando surgem sintomas, mas também por outras inúmeras razões. Todas elas têm algo em comum: o sofrimento.

É o sofrimento que leva a maioria das pessoas a solicitar terapia.

Se o sofrimento parecer não ter fim, e der por si a caminhar e a fazer muito esforço, sem ânimo e vontade, procure ajuda. A terapia existe para isso, e muito mais. 

É comum recorrer-se à terapia quando os sintomas teimam em persistir, quer sejam estes provocados por uma mudança inesperada ou uma situação perturbadora, mas que começa a interferir com o seu funcionamento diário. Por vezes é necessário largar o que já não nos preenche, e abraçar o que nos pode entusiasmar. Caminhe com um sentido e uma razão de existir.

Dê-se a oportunidade de se escutar, de dar sentido e significado aquilo que lhe está a acontecer, para que possa avançar. 

2.

Psicoterapia Crianças e Adolescentes

Por vezes há contratempos e desvios, à medida que se caminha ao sabor da aventura e à descoberta do mundo do qual se quer fazer parte.

Surgem dúvidas, medos, dificuldades emocionais e comportamentais, baixa no rendimento escolar, angústias que despertam, e dificuldades ao nível da autoestima, identidade, autoconceito, independência, segurança afetiva, entre outras, e que se traduzem muitas vezes em sofrimento, inadaptação, ou até em comportamentos autolesivos e desviantes. 

A psicoterapia permite compreender aquilo que cada criança ou adolescente está a vivenciar, ao mesmo tempo que são descobertas as coordenadas e estratégias que permitem lidar com as problemáticas, em articulação com a família, escola e outros intervenientes. 

O projeto terapêutico vai ajudar a criança ou adolescente, a responder às dificuldades, e permitir avançar, mais determinados e seguros.

3.

Terapia
de Casal

 

Sem preverem ou desejarem, os casais dão por si a viver dinâmicas reativas, ou de conflito, passando a ser cada vez mais difícil manter os bons momentos. Instala-se um deserto afetivo na relação que dificulta a cumplicidade e a intimidade do casal. Surgem as discussões, frustrações mútuas, mal-entendidos, e distanciamentos que são tóxicos e que poluem a sua  intimidade e sexualidade.   

Peça ajuda. Vá até ao ponto de viragem que marcou o início da crise, dos impasses e dos problemas vários e que impediram o casal de avançar.  Eu, Tu e o Nós, onde e como estão agora?

É possível quebrar os padrões disfuncionais para evitar mais  desencontros, bem como identificar vulnerabilidades, desbloquear conflitos, expressando-se. Reconstruir uma nova narrativa em conjunto, fortalecer a união, a confiança, o sentimento de intimidade, e redescobrir a identidade do casal. Voltar à rota e continuar o caminho, que pode passar pela manutenção da relação ou não. 

4.

Terapia
Familiar

Por vezes a família procura encontrar respostas fora do sistema familiar, mas muitas vezes a solução está dentro da própria família, e em muitas, situações, o Paciente Identificado é apenas o sintoma de um sistema familiar que está em sofrimento, ou que está disfuncional por acontecimentos inesperados, quer sejam estes como uma situação de desemprego, doença, uma perda, consumos, entre outros. 

Muitas vezes o sintoma aparece junto daquele que se apresenta como sendo o mais vulnerável. Na Terapia Familiar lavram-se os terrenos emocionais que estão mais vulneráveis e arenosos, para poderem ficar mais ricos e nutritivos. Mitos, crenças, heranças e interferências ao nível da transgeracionalidade contribuem muito para o substrato.  Cresce uma nova estrutura de funcionamento e um novo modelo relacional, respeitando a identidade familiar, promovendo o self individual. Cada um ocupa um lugar no terreno que é de todos. 

Serviços de Terapia
A Minha Abordagem

Cheguei aqui pela vontade em caminhar, pelo gosto em contemplar e compreender o mundo que nos rodeia. Pelo caminho cruzei-me com pessoas que fizeram a diferença, e que deixaram algo delas, acrescentaram, e ativaram em mim este gosto pela psicoterapia. Inspiração que nos impulsiona para que possamos prosseguir o caminho e a vida. Tem sido assim desde o berço, com muito amor. Raízes fortes, com as quais consigo voar todos os dias. Embora goste e saiba voar sozinha, voo em bandos, e gosto de ir à descoberta e de procurar portos seguros.  

No trabalho terapêutico, gosto de ir à descoberta do sentido. Gosto em conjunto com o outro descobrir significados, sejam através de histórias, narrativas, metáforas, humor, criatividade, ou qualquer outra forma que o outro encontre, e que lhe faça ressonância. O importante é que avance, que redescubra e afirme a sua identidade, o seu self, o seu lugar, o seu papel, o seu potencial, a sua força vital. Caminhamos lado a lado, e crescemos em conjunto. Caminhamos juntos o tempo que for necessário até não fazer mais sentido. Poderemos voltar a cruzarmo-nos no caminho ao longo do tempo. 

Ter chegado aqui, é o continuar da caminhada. Há muitos trilhos à vista por desbravar. As rotas nem sempre são previstas e traçamos o mapa à medida que caminhamos, com entusiasmo, e em total empatia, compreensão, criatividade, abertura, espontaneidade e autenticidade.

FotoSite.heic
Quem Sou

Formada em Psicologia área de Clínica e da Saúde pelo ISPA- Instituto Superior Psicologia Aplicada

Terapeuta Familiar e de Casal pela SPTF - Sociedade Portuguesa Terapia Familiar

Formação EMDR Nível I e II, formação reconhecida pela Associação EMDR Portugal

Psicodrama para Terapeutas Familiares e de Casal

Formada em Coaching Individual, Equipas e Organizações pela Activision Variations, Entidade acreditada pela ICF - International Coaching Federation

Formadora Certificada pelo IEFP

Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses

Especialidade Clinica e da Saúde

Especialidade Avançada Psicoterapia

Membro Efetivo da SPTF - Sociedade Portuguesa Terapia Familiar

Associada da Sociedade de EMDR Portugal

Experiência em consulta psicológica, em contexto clínico, e em Agrupamentos de Escolas pelo Ministério da Educação, CPCJ (membro CPCJ Restrita e Alargada, colaboração e colaboradora em várias lPSS's e outras instituições, nomeadamente lares de infância e juventude, coordenadora grupos apoio na Myos).

Atualmente a exercer Clínica Privada, e em parceria e colaboração com a Associação Nós&Laços, com a Associação EntreNós - Associação Terapeutas Familiares, Associação Monte-Pio, e Projeto PUZZLE. Membro da direção da Associação Nós&laços, e comissária na CPCJ Alargada.

Reconhecer os Sinais

Há sinais que podemos reconhecer e que podem indicar desequilibro emocional, podendo este ser desencadeado por inúmeras causas, mas que pode interferir com o nosso quotidiano. É normal sentirmos ansiedade e stress no nosso dia a dia, mas quando estes sintomas se prolongam ao longo do tempo, e começam a interferir com os nossos ritmos respiratórios e com a qualidade do nosso sono, se não for tratada pode dar origem a alterações de humor e a sintomas depressivos, consequentemente perda de interesse por atividades que habitualmente gostávamos de fazer, diminuição de energia, desvalorização pessoal, ou até sentimentos de culpa. As emoções são  cruciais na motivação do nosso comportamento, e por vezes é necessário compreender as emoções que nos (des)motivam. As emoções influenciam o nosso pensamento, e quando mudamos a forma como pensamos e atribuímos significado ao que estamos a sentir, aumentamos as nossas possibilidades de voar e enriquecer o nosso património humano. 

Ansiedade

Auto-estima

Depressão

Stress

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É tempo da travessia, e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado para sempre, à margem de nós mesmos"
Fernando Pessoa
Contato
bottom of page